Durante o segundo dia eu resolvi focar meu tempo nos painéis para poder reproduzir todos os materiais exclusivos no Manual, mas no fim consegui um período para relaxar e curtir o resto do dia no evento.  Aproveitei para fotografar alguns cosplayers, coisa que pouco fiz no primeiro dia. Há cosplays realmente criativos e muito bem feitos.

Depois, fui a um espaço reservado para a cultura oriental, com animes e tokusatsus. É o local onde se encontram as 12 armaduras de ouro de Cavaleiros do Zodíaco em tamanho real. O feito da Comic Con Experience de trazê-las é enorme, visto que elas praticamente não saem do Japão. As armaduras são fantasticamente detalhadas, dá para passar um bom tempo contemplando cada uma delas. E no mesmo espaço há coleções de brinquedos de outros animes e séries aclamadas. Particularmente fiquei impressionado com a coleção de Mighty Morphin Power Rangers e uma inusitada coleção que imagina os personagens de Toy Story como personagens de um tokusatsu, formando seu próprio Megazord.

Conferi um pouco da banda Senpai Oldschool, que eu já havia conhecido em um evento de animes na região do ABC. A banda é bastante competente e faz covers das mais variadas canções consagradas no universo dos animes.

Uma das coisas mais legais como atração no evento são os consoles livres para o pessoal jogar videogame à vontade. Joguei brevemente um capítulo da série Batman Arkham em um Xbox One. Apesar do entretenimento, preferi não ficar muito.

Aproveitei que já não havia muita fila para visitar a loja da franquia Harry Potter. A maioria dos itens já havia se esgotado, assim como no dia anterior, mas pude conferir as varinhas, que ão lindas, mas nada baratas. Também havia outros itens como action figures, o Mapa do Maroto, moedas de galeão, bonés e camisetas, e até uma réplica da Nimbus 2001. Os cachecóis, capas e brasões da Grifinória e Sonserina haviam acabado. Conversei com um representante e ele me informou, como eu já sabia, que a loja em breve será lançada online. O interessante é que com muito mais produtos, principalmente sobre as outras casas. Fico feliz, pois gostaria de adquirir algo da Corvinal futuramente.

Além disso, fui conferir a Riachuelo Geek, que além de reunir todas as peças geeks da rede, também inclui peças exclusivas para o evento, que por sinal são as mais belas e também as mais caras entre elas. Considerando a chance única de adquiri-las, o investimento é válido e recompensador.

Decidi que não poderia sair de lá sem levar algo, mesmo com o tempo escasso para conferir e registrar tudo. Então fui ao stand da Panini, que possui desconto em todas as compras, e peguei o último exemplar em capa dura que havia de Louco: Fuga, graphic novel da linha de histórias mais maduras do universo da Mônica, realizadas pelos mais renomados nomes do mercado brasileiro de quadrinhos. É possível encontrar muita coisa boa na Panini com ótimos preços. Fiquei arrependido depois por não ter levado mais.

Com inúmeros materiais exclusivos que conferi durante os painéis e uma volta bacana pelo restante do evento, terminei de fotografar tudo que tinha direito e decidi encerrar minha atividade cobrindo o segundo dia da CCXP. A volta foi ligeiramente mais demorada em relação ao dia 1. A fila para os ônibus estava maior ainda, mas a quantidade deles era capaz de contê-la. O problema mesmo foi o engarrafamento que durou bons minutos até finalmente sair de lá, ficando bem mais tranquilo depois. E encerrando agora minhas impressões, quero fazer um agradecimento à toda a organização da Comic Com Experience, porque a experiência foi épica de verdade!