Na última segunda-feira, dia 05 de dezembro, fui a convite da H2O Films para a exibição de imprensa de Fallen, adaptação do livro de mesmo nome escrito por Lauren Kate. Depois, todos se dirigiram a um hotel no qual serviram uma generosa pausa com enorme variedade de alimentos e bebidas.  Em seguida, guiaram os presentes até a sala da coletiva, que iniciou pouco tempo após as instruções, assim que a autora Lauren Kate e a atriz Addison Timlin (bastante simpáticas) chegaram.

Lauren Kate, que também é produtora executiva do filme, falou que resolveu assumir o cargo quando a adaptação ganhou força e percebeu que sua participação era necessária para melhor aproveitamento do universo que imaginou. Também mencionou seu ótimo relacionamento com o diretor Robert Scott Hicks durante a produção, elogiando a compreensão dele sobre a obra.

Addison Timlin, perguntada sobre a pressão de assumir o papel, respondeu que foi enorme, mas a sentiu de forma positiva e buscou entregar o melhor resultado aos fãs com sua visão sobre a personagem. Também informou que leu apenas o primeiro livro antes das filmagens para que se mantivesse fiel ao que Luce é apenas em Fallen, sem as influências dos livros seguintes.

Ao ser comentada a abordagem do anjo que abre mão de sua condição no meio da guerra para viver o amor, a escritora disse que sua inspiração quanto a isso foi em Gênesis.

“Eu fiquei obcecada com a ideia de um anjo que abre mão de tudo para vivenciar o amor, ou mais que o amor, algo como a luxuria, algo que desconhecia. Eu queria encontrar uma garota que merecesse esse sacrifício, e encontrei Luce.”

Addison explicou que não se inspirou em outra atuação para dar vida à Luce, pois queria passar algo único com ela.

“Gostaria que ela fosse única, diferente de todos os personagens que desempenharam esse papel de se dividir entre dois amores. O que eu queria era transmitir que ela era uma jovem livre, dona de seu destino e livre para amar.”

Questionadas sobre a recepção dos fãs pelo que já puderam conferir, as duas tiveram reações bastante parecidas. Lauren inclusive mencionou ter chorado de emoção durante o painel do filme na Comic Con Experience e Addison revelou que estava muito ansiosa para compartilhar tudo com os fãs.

Em algum momento foi comentada a crescente abordagem de seres sobrenaturais em livros do gênero, como é o caso de Crepúsculo, o que gerou a pergunta se Lauren havia se inspirado na obra quando escreveu Fallen.

“Não, eu não me inspirei em Crepúsculo. Li alguns dos livros da série, mas não estava em minha consciência enquanto escrevia Fallen. Estava escrevendo minha tese de mestrado, mergulhada em estudos bíblicos, e nunca imaginei que iria escrever sobre algo sobrenatural, sobre essa realidade, mas acabou acontecendo e me aprofundei nesse mundo de fantasia. Acho uma mensagem muito poderosa ao transmitir que o amor pode nos dar asas.”

Outra pergunta direcionada a ambas foi sobre a possibilidade de Luce ser um símbolo de empoderamento feminino e influenciar o público. Addison foi convicta em sua resposta:

“Com certeza. Ela decide ser ela mesma em um contexto difícil, mas tem convicções firmes.”

Lauren concordou com a atriz e fez questão de complementar o raciocínio dizendo sobre o significado por trás do nome da protagonista ser Luz e como, durante Êxtase (último livro da série) ela vivia em uma escuridão, mas chegou à luz devido à sua força e suas convicções. E que ela é forte e vulnerável ao mesmo tempo, mas conseguiu de uma maneira muito bonita encontrar a luz.

Addison também respondeu se lhe preocupa a possibilidade de ser marcada como a personagem e os riscos quanto a isso. A atriz respondeu que o sucesso é sempre uma coisa boa, mas que certamente há riscos em relação à sua imagem e superexposição, mas disse estar preparada e complementou:

“Sempre tento ser eu mesma.”

Um assunto interessante que surgiu foi a respeito da fonte de pesquisas da escritora. Lauren respondeu que estudou com uma acadêmica sobre textos antigos relacionados ao assunto e a parte difícil foi com as contradições que um texto apresentava de outro, como por exemplo, quanto tempo leva para um anjo cair na Terra, havendo uma informação diferente em cada um deles. Ao pedir auxílio da acadêmica, esta respondeu que não há como extrair algo oficial e, portanto, deu o seguinte conselho:

“Escolha um caminho e não volte atrás”.

Ao final, as duas ainda falaram um pouco sobre a produção e como foi para a autora ver sua criação em tela. Segundo ela, a princípio achou o espaço escolhido para representar Sword & Cross um pouco diferente de sua imaginação, mas mudou de ideia com a ambientação realizada pela equipe, que imprimiu perfeitamente o clima do livro. Já Addison comentou sobre as gravações e demonstrou empolgação quanto à parte técnica, revelando que a cena de incêndio que ocorre no meio do filme foi feita com fogo real.

Apesar de ainda haver perguntas, a coletiva não pôde continuar devido ao pouco tempo disponível das duas, que ainda teriam de conceder outras entrevistas e participar da pré-estreia. Assim que acabou, elas ainda posaram para fotos e cada um dos presentes recebeu um exemplar do livro da editora Galera Record.

Fallen já está disponível nos cinemas brasileiros com cópias legendadas e dubladas. A crítica do filme pode ser conferida no Manual da Tecnologia clicando aqui.