Um sistema Linux não é um bicho de sete cabeças como muitos usuários do Windows acham, o melhor exemplo disso é o Ubuntu, que vem cada vez mais tendo mais fãs e é um dos Linux mais usados.

Antes de começarmos a analise, quero deixar claro que testamos o Ubuntu como desktop, ou seja, não utilizamos em momento algum ferramentas para programação, servidores e etc.

Para os usuários do Windows, ouvir a palavra Linux é a mesma coisa que SO difícil, ou SO que não se pode jogar, mas aí que muitos se enganam, cada vez mais o Linux vem se tornando mais fácil e intuitivo, o que melhor faz isso é o Ubuntu, por isso o escolhemos, agora vamos a analise.

O sistema

O Ubuntu tem como base o Debian, ele é atualizado a cada seis meses, a versão que testamos foi a 10.10 Maverick, não se iluda achando que é a décima versão do SO, 10.10 significa que o sistema operacional foi feito em outubro (mês 10) de 2010, já o “Maverick” é o codinome do SO.

A grande vantagem de utilizar o Ubuntu, é que é totalmente de graça, basta baixar (não passa de 700mb, ou seja, cabe num CD) e sair usando, e os programas também são todos de graça.

Área de trabalho e barras de ferramentas

A área de trabalho do Ubuntu é bem diferente da do Windows, principalmente as barras, que no caso são duas, a superior e a inferior, nelas temos muitas funções, então para facilitar veja a captura de tela abaixo e após verifique o que cada barra tem nas legendas.

  1. A barra de ferramentas superior é onde temos, no lado esquerdo, o menu principal (“Aplicativos”, “Locais” e “Sistema”) (1), que seria como um menu iniciar do Windows, só que divido entre as três opções, a “Aplicativos” é onde temos tudo relacionado a programas, a “Locais” seria onde temos acesso a todas as pastas do sistema, inclusive a com os documentos, imagens, músicas e etc, já a “Sistema” tem tudo sobre a configuração do sistema, seria um Painel de Controle do Windows com mais funções, ao lado desse menu, temos o ícone do Google Chrome, mas você pode colocar qualquer programa nessa barra (2) . Já no lado direito, temos as opções relacionadas ao desligamento do SO (5), depois temos o relógio, que também fornece temperatura e calendário (4), e para finalizar, temos alguns programas que podem ficar na bandeja, como o Emesene, que é um substituto do Live Messenger (3);
  2. A barra inferior contém no lado direito o ícone de exibir a área de trabalho (6), logo após vem as janelas abertas (7). Agora vem uma das ferramentas mais interessantes do Ubuntu: Alternador de espaço de trabalho (8), alguns já devem ter entendido só de ler o título, mas vamos explicar, isso quer dizer que você pode ter várias áreas de trabalho, por exemplo: uma com o Emesene e o Firefox abertos, e a outra com as Imagens e os Vídeos abertos, assim você pode se organizar melhor, e por última a lixeira (9) que dispensa apresentações.

O Ubuntu traz mais dois detalhes importantíssimoos, o primeiro é que essas barras são totalmente editáveis, podendo até mover  tudo que tem nela, e ainda podemos adicionar mais, através de uma janela igual a imagem abaixo:

Programas e aplicativos (Básico)

Os programas e aplicativos do Ubuntu são fáceis de serem localizados, basta acessar o menu “Aplicativos”, já vem instalados o básico para qualquer usuário, mas isso iremos falar depois, vamos explicar agora a Central de Programas do Ubuntu, onde temos vários programas para o sistema.

Programas e aplicativos (Avançado)

Agora vamos explicar mais sobre os programas e aplicativos, como estamos fazendo uma análise do sistema, não vamos ensinar como instalar e etc, apenas explicar as funções do Ubuntu, então vamos fazer de um jeito diferente, vamos dar alguns programas mais famosos que podem ser instalados no Ubuntu para cada categoria, veja:

  • Navegador: Firefox e Chrome;
  • Mensageiros (substituem o Live Messenger): Emesene, Pidgin, aMSN e Empathy;
  • p2p: Vuze;
  • Escritório: OpenOffice (substitui Microsoft Office) e Adobe Reader;
  • Player de música e vídeo (substituem Windows Media Player): GNOME MPlayer, Rhythmbox, VLC e Reprodutor de filmes do Ubuntu;
  • Ripador de CD/s e DVD/s: Brasero e GnomeBaker;
  • Editores de imagem: The GIMP, ShotWell e GnomePaint (substitui MS Paint);
  • Editores de vídeo: Pitivi (substitui Movie Maker) e Kdenlive;
  • Acessórios: Calculadora, Editor de texto (Notepad) e Terminal (Prompt de Comando).

Basicamente são esses os programas mais utilizados em um desktop, se quiser alguma sugestão comente!

Outra curiosidade é o Wine, ele possibilita instalar programas .exe no Linux Ubuntu, ou seja, podemos instalar Internet Explorer, Windows Media Player, Adobe Photoshop ou qualquer programa .exe no Ubuntu, veja abaixo o Internet Explorer rodando no Ubuntu através do Wine, que cria uma pasta C:\ num sistema Linux:

Segurança

A segurança no Ubuntu é muito grande, para terem uma idéia, não é necessário utilizar antivírus nem nada relacionado, a quantidade de vírus para Linux é muito pequena, e a segurança nativa do SO também é forte, então quanto a isso não se preocupe.

Velocidade

A velocidade do sistema é boa, no começo ele é muito rápido, só que dependendo de seu hardware ela vai caindo por cerca de três semanas, aí ela fica estável, mas não fica lento, apenas rápido (não muito rápido ;) ) claro que é necessário fazer uma limpeza na lixeira, sim, é só isso, não precisa limpar o SO, pois ele praticamente não acumula lixo, mas eu digo isso em computadores com no máximo 1 GB de RAM e um processador Pentium 4, dessa configuração para cima, a velocidade sempre é muito rápida.

O espaço no HD também influência na velocidade, mas ele não ocupa muito, se você tiver um HD de 40 GB, já é mais que suficiente para os arquivos do sistema, deus documentos, imagens, programas e etc, mas recomendo no mínimo 80GB, o sistema em sí, ocupa menos de 4 GB.

Jogos

O próprio Ubuntu já fornece alguns bons jogos, mas lembra que dissemos que o Wine permite instalar qualquer aplicativo . exe? Então o mesmo acontece com jogos, qualquer game que for executável (.exe) pode ser instalado no Ubuntu, mas para facilitar essa tarefa, temos o PlayOnLinux, que pode ser instalado pela Central de Programas do Ubuntu, nele contém uma lista com vários jogos que podem ser instalados facilmente.

Detalhes

Já analisamos o sistema, e para ajudar fizemos uma comparação com aplicativos do Windows, assim podem ajudar muita gente, pois quando iniciei no Ubuntu, procurei algo que comparasse com o Windows para que eu não sentisse falta de nada, e acabei não achando nada, porque embora o Ubuntu tenha praticamente tudo, a grande maioria das pessoas que sabem mexer no computador, conhecem mais o Windows, então comparar com os aplicativos dele, é a maneira mais simples de analisar um sistema tão bom mas também tão diferente.

Agora vamos ao que interessa, essa última “categoria” da nossa analise, a Detalhes, vai contar alguns tópicos, com alguns recursos do sistema que não se enquadram nas categorias já ditas acima, veja:

  • O Ubuntu tem atualizações automáticas e faz praticamente tudo sozinho ao clicar apenas uma vez;
  • Saiu uma nova versão do Ubuntu? Não se preocupe, ele atualiza automaticamente sem perder nenhuma configuração ou arquivo seu;
  • Caso você testar o Ubuntu e perceber que a velocidade da internet subiu, não pense que foi seu provedor, o Linux é mais ágil, e conseqüentemente os navegadores também são;
  • Não se assuste com a tela de boot, ela é feia mesmo, ao ligar fica um “underline” ( _ ) piscando lá em cima da tela, após aparece um escrito bem rápido “Ubuntu 10.10″ numa tela rosa, caso algum arquivo do sistema tenha sido danificado, é nessa tela que o próprio sistema vai corrigir os problemas, se não essa tela rosa realmente é rápida, aí depois fica um sistema bonito, já na tela de login;
  • Eu sei que não falamos nada da aparência, é que já da para conferir nos prints que colocamos, mas você também pode mudar o tema, wallpaper e etc do sistema, tudo muito fácil.

Concluindo

Aqui acaba nossa análise, foi também a postagem de inauguração da categoria Linux Ubuntu, que a partir de hoje receberá dicas e novidades sobre esse sistema operacional, qualquer dúvida, sugestão, crítica ou qualquer outra coisa comente!

Lucas Rezende Tedeschi – Manual da Tecnologia




Sobre o Autor

Lucas criou o Manual da Tecnologia aos seus 14 anos, em 2009. Atualmente, o mantém muito mais como "hobby", porém de uma maneira profissional, escrevendo sempre o que lhe agrada.