Hoje em dia, praticamente qualquer lugar aceita cartão de débito e crédito, o que é ótimo para nós, não é mesmo? A comodidade de não carregar mais notas e notas quebra um galho enorme no dia a dia!

Infelizmente, nem tudo é perfeito, com o aumento do seu uso, a quantidade de tentativas de falsificar os cartões aumentam a cada dia, sempre acompanhando o crescimento absurdo da tecnologia nesse sentido.

Pensando nisso o site canadense My Broad Band trouxe algumas dicas de como identificar uma máquina que clona cartões de débito ou crédito. Separamos as melhores dicas e vamos traze-las agora para vocês!

 

Em uma máquina de clonagem, o cartão entra por inteiro

Atualmente, as máquinas de grandes marcas como Cielo, Rede e Moderninha não deixam o cartão ir até o fundo, e como podemos ver na foto, a máquina se torna suspeita quando o contrário acontece, isso porque para que o dispositivo consiga ler todos os números o cartão deve entrar por inteiro na máquina.

Infelizmente, para verificarmos isso temos de esperar o cartão ser inserido, então a dica fica em sempre por o próprio cartão na máquina e tira-lo rapidamente se perceber que ele vai fundo demais.

 

Atenção aos leds

O acabamento das máquinas de clonagem são bons, mas sempre ficam atrás da original. Fique atento aos leds no teclado, as originais quase sempre tem esse recurso enquanto que algumas falsas apreendidas não andam tendo.

 

Verifique a marca da máquina

Atualmente, o mercado é dominado por máquinas da Cielo, Rede, iZettle, Payleven e Moderninha. Existem outras marcas confiáveis que não constam por aqui, mas se você ver uma máquina muito diferente ou suspeita, questione ao atendente mostrando curiosidade por não conhecer ela, tentando descobrir de onde ela vem.

Logicamente, devemos levar em conta outro fator para ter uma suspeita maior: Onde você está comprando? Tenha cuidado redobrado em lojas menores que não representam grandes marcas. Pode parecer um certo preconceito, mas se trata de termos ciência de que grandes marcas são mais seguras em relação a pagamentos.

E aí, o que achou das dicas? Já sabia? Comente!