PES 2015 é a nova tentativa da Konami de entrar novamente na briga pelo mercado dos simuladores de futebol. Após o enorme fracasso que foi a versão 2014 do game, com a tentativa de embarcar em uma nova engine resultando em um game cheio de bugs e problemas, a Konami parece acertar a mão e trazer o jogo que ela pretendia no ano passado.

O jogo ainda é simples demais e apresenta vários problemas, como vocês verão aqui na análise. Mas para quem é um fã de PES, o game está mais do que divertido. Apresentaremos todos os pontos que nos chamaram a atenção, e com essa análise iniciamos o Especial PES 2015.

Não deixe de curtir nossa página do Facebook, para ficar ligado em todas as novidades que virão para o game. Caso tenha algum comentário ou queira conversar com a gente, nos encontre pelo Twitter também ou na caixa de comentário logo abaixo.

 

 

Nova engine funcionando

Após a alteração da Engine que funcionou muito bem no PES 2013, o game despencou de qualidade absurdamente. Era possível dizer que em 2014, o que vimos foi uma versão alpha de um game que a Konami pretendia lançar.

E esse game é PES 2015. Os novos gráficos estão excelentes, e muitos bugs gráficos e problemas de versões passadas foram consertados aqui. Os jogadores, por exemplo, na hora de comemorar um gol, não invadem mais o espaço de outro jogador, com aquelas mãos que atravessam rostos de jogadores, por exemplo.

2585709-pes2015_konamistadium_overlook_1404378154

O game, em questão de velocidade, está finalmente bem balanceado. Ele não está muito lento, para ser um simulador, e nem muito rápido, a ponto de se tornar um arcade sem sentido. PES está com a cara do game que gostamos tanto, mas com um toque de realismo que acrescenta muito a mistura.

Os jogadores, animações e rostos estão muito bem feitos, e o que já era bom antes agora está ainda melhor. Embora nem todos os jogadores tenham sido retratados perfeitamente, por falta de tempo da produtora (A seção de PES da Konami é extremamente pequena), os times grandes estão com jogadores extremamente fiéis a realidade. Podemos ver o capricho gráfico tanto de longe quanto de perto.

pes_2015-2570649

Além disso, a física do game melhorou muito. Embora a mecânica de chutes ainda não foi muito bem acertada e os chutes acabem sempre indo pra esquerda, direita ou pra frente, a bola se comporta de maneira muito inteligente e realística e dá para sentir que ela existe, não sendo um objeto sem peso.

Por fim, a inteligência artificial também foi muito bem aprimorada. Os goleiros respondem muito bem aos lances, não deixando você na mão quando você mais precisa, e seus companheiros de equipe sabem se posicionar muito bem no gramado. A única ressalva fica pela dificuldade, já que o game é facilmente batido até mesmo na dificuldade Super Estrela. Para quem é ‘viciado’, pode ser um pouco irritante.

 

Modos de jogo

Embora o jogo tecnicamente esteja excelente, é aqui que as coisas começam a complicar um pouco para o lado da Konami. Na versão 2015, ela trouxe um novo modo de jogo, chamado MyClub, com uma proposta online e diferente do que era a Master Liga Online no PES 2013.

Mesmo com microtransações e outras decisões polêmicas, o modo e desafiante e divertido. Além de você não ter acesso direto aos jogadores que quer, você tem que selecionar técnicos e empresários com o perfil que deseja para o seu time e ir melhorando ele aos poucos, ganhando dos seus oponentes na mão e na sua habilidade com o joystick.

Embora o MyClub seja uma boa sacada da Konami, criar o modo fez com que ela simplesmente desistisse da Liga Master e do Rumo ao Estrelato. Vou entrar em mais detalhes para cada modo separadamente.

A Liga Master está mais simples do que eu lembro que eu jogava no Playstation 2. Você cria um Manager que nunca aparece, já que todas as animações foram cortadas. Sim, todas. Você consegue ver um jogador novo chegando sob um fundo preto, mas apenas isso. Sem cenas de treinamento, aquelas cenas com seu assistente técnico ou acontecimentos especiais. Nada.

liga-master

Você pode estabelecer treinos específicos para cada jogador, mas apenas isso. Não dá mais para contratar comissão técnica, personalizar seu time de qualquer forma, gerenciar patrocínios, nada. A sua única função é arrumar formação e ir para o jogo.

Quanto as negociações, as coisas ficaram mais simples ainda. Você consegue saber se o time e o jogador adversário vão aceitar uma proposta antes mesmo de mandá-la. Não há quase nenhuma estratégia para ser feita aqui, apenas escolher o jogador que você quer e mandar a proposta para esperar ele chegar. Os únicos pontos positivos aqui são a possibilidade de troca de técnico e de treinar uma seleção, novidades que foram continuadas da versão antiga.

No Rumo ao Estrelato, isso tudo é pior ainda. Você entra no menu, joga a próxima partida, escolhe um treino, joga a próxima partida, e isso acontece até a sua aposentadoria. Não há nada aqui, nada.

rumo-estrelato

Devido a tudo isso, e se comparar os ótimos momentos que tivemos com esses mesmos modos no PES 2013, a Konami tem que revisar suas estratégias para a próxima versão e trazer modos mais completos. Mas até lá, dá para se divertir com o MyClub. Caso você tenha conexão com a Internet, é claro.

 

Personalização e detalhes

O modo editar está mais aprimorado esse ano em alguns pontos, e ainda limitado em alguns. A edição de faces foi refeita, como dito acima, e está muito melhor do que em qualquer versão passada do game, além de ser possível editar alguns aspectos do técnico também. Uniformes tiveram uma ou outra mudança, mas ainda está na mesma base que os games antigos.

É possível também colocar três clubes rivais para cada clube que você editar, além tambem de editar as seleções. O único ponto negativo aqui é que o editor de estádios ainda não voltou para o game da Konami, mas esperamos que ele mostre as caras nas próximas versões.

Em relação a ambientação e atmosfera do game, PES 2015 está fantástico. Com uma playlist completa e muito interessante, dificilmente você estará entediado enquanto navega nos menus. A interface está bem simples e organizada também, lembrando os menus do PS2.

Os estádios tem uma iluminação fantástica e uma ótima torcida tambem. Alguns times têm cantos personalizados, o que é excelente em um game de futebol. No que importa, PES 2015 acerta bastante.

 

Concluindo

PES 2015 é o retorno do game para os fãs da série. Embora ainda limitado em alguns pontos, a Konami trouxe um game balanceado e divertido para os jogadores, e extremamente inteligente também. Se você é fã do simulador japônes, é compra certa.

Fique ligado para mais novidades sobre PES, porque o Especial está oficialmente aberto. Curta nossa página no Facebook para não perder nada que acontece no Manual, e como dito, caso queira conversar conosco, estamos abertos para vocês. Abraços e até a próxima!